ANGOLA VENCE O PASSADO

30,00 €
Com IVA 2 dias

Autor: António Alberto Neto

Editora: Perfil Criativo - Edições

Ano de publicação:  Abril de 2016 - Primeira edição

ISBN: 978-989-20-6481-9

Nº de páginas: 356

Capa: Mole sem badanas

Medidas (Alt. x Larg. x Lombada):   240 x 170 x 15 mm

Peso:  0,850 Kg

Colecção: 

Observações: —

Quantidade
Disponível

  • Segurança:
A Loja dos Autores utiliza medidas de segurança para evitar a perda, abuso, alteração, uso não autorizado ou roubo dos seus dados pessoais. Segurança: A Loja dos Autores utiliza medidas de segurança para evitar a perda, abuso, alteração, uso não autorizado ou roubo dos seus dados pessoais.
  • Entregas:
Portugal: 2 dias úteis (envios grátis); Europa: 7 dias úteis; Resto do mundo: 15 dias úteis; Angola: Pode ser levantado nas nossas instalações em Luanda, a partir de Setembro de 2018. Entregas: Portugal: 2 dias úteis (envios grátis); Europa: 7 dias úteis; Resto do mundo: 15 dias úteis; Angola: Pode ser levantado nas nossas instalações em Luanda, a partir de Setembro de 2018.
  • Devoluções:
Queremos que se sinta completamente satisfeito com a sua compra!
Pode devolver a sua encomenda no prazo de 5 dias, nas mesmas condições em que a recebeu, enviando um email para 
info@autores.club indicando o motivo da devolução. Devoluções: Queremos que se sinta completamente satisfeito com a sua compra! Pode devolver a sua encomenda no prazo de 5 dias, nas mesmas condições em que a recebeu, enviando um email para info@autores.club indicando o motivo da devolução.
PayPal

Envio GRÁTIS para Portugal.

O livro representa uma primeira tentativa de dar a conhecer à opinião pública, nacional e internacional, a saga do povo angolano para as suas legítimas emancipação e liberdade.

Durante séculos, os povos oprimidos lutaram para assegurar o seu direito à liberdade. Questões políticas, económicas, sociais e polemológicas são passadas em revista, e o conhecimento do passado permite esclarecer as vias e os meios de Angola vencer o seu passado e saber resistir, para vencer o futuro presente.

O colonialismo foi um fiasco e, por isso não se reforma, destrói-se a partir das suas próprias contradições. "O que desejamos estabelecer é uma sociedade nova, onde negros e brancos possam viver juntos. Naturalmente, e para não ser mal interpretado, devo acrescentar que o processo democrático deve ser exercido  de modo a que a massa popular mais explorada (a negra) tenha o controlo do poder político, porque é ela que pode ir mais longe no estabelecimento dos direitos apropriados para todos" - Agostinho Neto, Quem é o inimigo... Qual é o nosso objectivo? (Excerto da Conferência na Universidade de Dar-es-Salaam em 7 de Fevereiro de 1974).

10 Itens

Também poderá gostar